Aulas de dança: agora às quartas em São Bernardo do Campo

Venha dançar ritmos tradicionais guineanos com Aboubacar Sidibé! Todas as quartas-feiras, das 20h30 às 22h. Mais informações: + 55 11 9 84251691 (whatsapp) Saiba mais sobre  oficinas de dança e percussão da Guiné Saiba mais sobre danças africanas da Guiné

Anúncios

Em julho, Fareta Sidibé se apresenta em bibliotecas de São Paulo

O ballet Fareta Sidibé fará quatro apresentações em bibliotecas municipais de São Paulo. Confira a programação e apareça!

Ballet Fareta Sidibé na Virada Cultural paulista

Protegidos por guarda-chuvas e sombrinhas, o público da Virada Cultural compareceu à apresentação do Ballet Fareta Sidibé. O som do djembé ecoou pelo centro antigo de São Paulo e a tarde fria e chuvosa esquentou!

Yannick Delass e Aboubacar Sidibé: parcerias

Em maio, Aboubacar Sidibé estreitou as parcerias com Yannick Delass e seu Congo Ancestral. Aboubacar Sidibé participou de apresentação junto ao guitarrista congolês, também radicado em São Paulo, no III Congo Ancestral e, juntamente com o Ballet Fareta Sidibé, do festival Musique D'Afrique. Ambos eventos ocorreram em maio no restaurante palestino Al Janiah, em São … Continue lendo Yannick Delass e Aboubacar Sidibé: parcerias

Oficina de dança e percussão da Guiné e Senegal em Brasília: veja como foi

Aboubacar Sidibé esteve em Brasília nos dias 6 e 7 de maio para lecionar dança da Guiné e acompanhado pelo djembé fola Alpha Kabinet Camara. O senegalês Oumar Sadio também foi o oficineiro da percussão. Grande oportunidade de aprofundar conhecimentos da cultura africana com africanos radicados no Brasil.

Venha dançar e tocar com a gente

Agora, as aulas de dança e percussão acontecem às segundas, terças, sextas e sábados, a partir das 16h O centro fica há 3 quadras do metrô Liberdade.

As oficinas de dança e percussão

A vivência começa com a aula de percussão, na qual os participantes serão encorajados a tocar o instrumento que desejarem (djembé, doun doun ou sangban são os instrumentos básicos). A aula de dança começa em seguida, com um aquecimento. Depois passa-se para o aprendizado dos passos da coreografia de um determinado ritmo. A quantidade de passos de uma coreografia é transmitida de acordo com o nível do grupo. No final do encontro, os/as participantes costumam ser encorajados a cantar um refrão do canto que acompanha o ritmo. Dependendo da energia do grupo, o oficineiro pode convidar cada participante a fazer um solo com alguns passos da dança que aprendeu. A aula termina com alongamentos.

Criançada do SESC Interlagos curtiu dança guineana

A oficina de dança guineana no SESC Interlagos chamou a atenção da criançada. Ela ocorreu em 26 de janeiro nos períodos da manhã e tarde e Aboubacar Sidibé mostrou dois ritmos guineanos: Yankadi, Mamaya e Fëfo.