Reparação de instrumentos no CECG-África

Agora também oferecemos a reparação e manutenção de instrumentos percussivos da Guiné - doun doun, sangban, djembé e kenkerni - e brasileiro - atabaque. Confira os valores e prazo de entrega.

Anúncios

Alpha Kabinet Camara

Conheça Alpha Kabinet Camara, que integra Fareta Sidibé. O percussionista guineano dá aulas de djembé, doundoun, sangban e kenkerni e acompanha Aboubacar Sidibé em suas aulas de dança no Centro de Estudos da Cultura de Guiné.

As oficinas de dança e percussão

A vivência começa com a aula de percussão, na qual os participantes serão encorajados a tocar o instrumento que desejarem (djembé, doun doun ou sangban são os instrumentos básicos). A aula de dança começa em seguida, com um aquecimento. Depois passa-se para o aprendizado dos passos da coreografia de um determinado ritmo. A quantidade de passos de uma coreografia é transmitida de acordo com o nível do grupo. No final do encontro, os/as participantes costumam ser encorajados a cantar um refrão do canto que acompanha o ritmo. Dependendo da energia do grupo, o oficineiro pode convidar cada participante a fazer um solo com alguns passos da dança que aprendeu. A aula termina com alongamentos.

Criançada do SESC Interlagos curtiu dança guineana

A oficina de dança guineana no SESC Interlagos chamou a atenção da criançada. Ela ocorreu em 26 de janeiro nos períodos da manhã e tarde e Aboubacar Sidibé mostrou dois ritmos guineanos: Yankadi, Mamaya e Fëfo.

Percussão guineana agita SESC Interlagos

A criançada que frequenta o SESC Interlagos tocou e dançou na oficina de percussão com Aboubacar Sidibé. As oficinas ocorreram em 19 de janeiro, na parte da manhã e na parte da tarde.O ritmo ensinado foi fëfo em estilo doun doun dance, no qual os percussionistas tocam e dançam ao mesmo tempo.

Contos Dançados da Guiné no SESC Interlagos

Os Contos Dançados da Guiné fizeram parte da programação do mês da Consciência Negra no SESC Interlagos. As apresentações ocorreram em 19 e 20 de novembro. Contos Dançados da Guiné reúne dança, música, brincadeiras e contação de histórias. Bastante interativo, o público é incentivado a brincar, dançar e tocar os instrumentos na última parte do espetáculo. Também pode fazer perguntas a respeito da cultura guineana.