Dança da Guiné no Território Artístico Imigrante

Oficina gratuita de dança da Guiné fez parte da programação do Território Artístico Imigrante em praça no Bom Retiro. Foi no domingo, 12 de fevereiro e o ritmo dançado foi Mamaya.

Anúncios

As oficinas de dança e percussão

A vivência começa com a aula de percussão, na qual os participantes serão encorajados a tocar o instrumento que desejarem (djembé, doun doun ou sangban são os instrumentos básicos). A aula de dança começa em seguida, com um aquecimento. Depois passa-se para o aprendizado dos passos da coreografia de um determinado ritmo. A quantidade de passos de uma coreografia é transmitida de acordo com o nível do grupo. No final do encontro, os/as participantes costumam ser encorajados a cantar um refrão do canto que acompanha o ritmo. Dependendo da energia do grupo, o oficineiro pode convidar cada participante a fazer um solo com alguns passos da dança que aprendeu. A aula termina com alongamentos.

Criançada do SESC Interlagos curtiu dança guineana

A oficina de dança guineana no SESC Interlagos chamou a atenção da criançada. Ela ocorreu em 26 de janeiro nos períodos da manhã e tarde e Aboubacar Sidibé mostrou dois ritmos guineanos: Yankadi, Mamaya e Fëfo.